Skip to main content

Está aí uma raça que provavelmente você está conhecendo agora ou só ouviu falar recentemente. Ainda pouco conhecido no Brasil, o Boiadeiro de Appenzell, adivinhe só, foi criado para ser um cão de fazenda, ajudar a pastorear o gado e até puxar carrinhos na sua terra natal, a Suíça. Conhecido também como Appenzeller Mountain Dog, é a mais rara das quatro antigas raças suíças de cães de montanha.

Pelagem

Seus pelos são curtos, densos e brilhantes e geralmente nas cores preto, marrom ou cinza, com marcas simétricas brancas e marrom avermelhado. É uma raça que não exige muitos cuidados com a pelagem. Banhos esporádicos e uma boa escovação semanal são suficientes para manter o casaco do bichinho sempre reluzente.

Saúde

É um cachorro que costuma ter saúde de ferro, pois voluntariamente costuma manter-se exercitado física e mentalmente, sem contar que sua condição genética é privilegiada. Apesar de não haver relatos sobre as principais doenças que o acomete, é bom manter-se atento às doenças mais comuns em seus congêneres como a torção gástrica e a displasia de cotovelo e de anca.

Temperamento

Pode ser considerado um cão equilibrado, ou seja, um cachorro tranquilo, mas com um instinto protetor aflorado, por isso a socialização precoce é importante para que as visitas sejam melhores recebidas no futuro. Bastante curioso e vivaz, está sempre procurando o que fazer, de preferência na companhia de alguém da família. Costuma se dar bem com outros pets e também com as crianças.

Inteligência

Bastante ligado à família, o Boiadeiro de Appenzell costuma eleger apenas uma pessoa para a qual entregará o seu amor incondicionalmente. Inteligente, é capaz de aprender com facilidade os truques que você ensinar, mas não esqueça de oferecer retornos positivos para mantê-lo interessado, ok? Atividades que necessitam de vigor físico ou descobertas, como um petisco escondido, são super recomendadas.

Tempo de vida

O ativo cachorro vive, em média, entre 10 e 12 anos.

Cuidados

Cuidados especiais Definitivamente essa raça não é indicada para quem mora em apartamento ou casas com pouco espaço. Para dar conta de suprir o gasto de energia que o pet precisa, um espaço verde amplo para o bichinho correr à vontade se faz necessário. Outro ponto de atenção é manter o cachorro protegido contra parasitas, já que sua pelagem costuma ser bastante atraente para pulgas e carrapatos fazerem morada.

Curiosidades

Eles eram os animais de estimação de um rei francês, Francisco I, e também de quem o sucedeu, Henry III. Existem histórias de que o Henry III levava o seu cachorro Bichon Frisé no ombro, dentro de uma cesta, para todos os lugares, de tanto que era apaixonado pela raça. Além disso, eles chegaram a ser utilizados como moeda de troca por marinheiros por causa do sucesso que faziam. Os bichóns por muito tempo foram amados por pessoas poderosas, sendo na época uma raça exclusiva de aristocratas. Com o tempo, muitos deles foram abandonados nas ruas e adotados por circenses, que viram nesta raça muitas vantagens: inteligentes e leais, eles obedeciam e aprendiam com muita facilidade, dando um toque a mais às apresentações de circo. Embora a raça exista no Brasil, é bem menos popular que o poodle.

 

× Como posso te ajudar?